Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Mais sobre mim

foto do autor



calendário

Agosto 2016

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Visitas ImPerfeitas

Site Meter



Ainda sobre as "gordinhas" da Margarida Rebelo Pinto

por Menina ImPerfeita, Domingo, 26.08.12

Olá a todos ;)

 

Encontrei esta crónica no facebook. Vou transcrevê-la para aqui, mas NÃO é da minha autoria. No entanto vão perceber porque é que ele merece ser transcrito depois do lerem.

 

 

"As escritorazinhas e as outras..


Serve esta crónica para retratar e comentar um certo elemento que existe frequentemente em órgãos de comunicação social e que responde pelo nome genérico de "Escritorazinha"

A Escritorazinha é aquela intelectual companheirona que desde o liceu cultivava o estilo "eu é que sou boa", tinha graves défices de atenção por parte das outras raparigas, era usada e abusada pelos rapazes e os professores teimavam em dizer-lhe que tinha um belo futuro como escritora, só porque era boa de pernas. Ora acontece que a Escritorazinha é geralmente burra e sem ideias, sempre pronta para escrever asneiras e alinhar com a malta em jornais mais sensacionalistas que a revista Mariana, para além de escrever livros onde nem sequer sabe descrever propriamente uma personagem, e raramente os seus escritos se tornam apetecíveis a alguém com meio palmo de testa, a não ser em noites longas regadas a mais de sete vodkas, nas quais o desespero comanda o sistema intelectual, transformando qualquer Pipoca Mais Doce numa Bessa Luís, mesmo que seja uma peixeira com bigode do Mercado da Ribeira.

A Escritorazinha é porreira, é fixe, é divertida, quer sempre ir a todo o lado e está sempre bem-disposta, portanto a Escritorazinha torna-se numa espécie de mascote do jornal que todos protegem, porque, no fundo, todos sabem que ela já foi comida por muito barão dos média, e no fundo, alguns até têm um bocado de pena dela, e uma grande dose de remorsos por já se terem metido com a mesma nas supracitadas funestas circunstâncias. E é assim que a Escritorazinha acaba por se tornar muito popular, até porque, como quase nunca escreve nada de jeito, está sempre disponível para os mais variados Órgãos de Com. Social, nem que seja o jornal Sol.

À partida, não tenho nada contra as Escritorazinhas, mas irrita-me que gozem de um estatuto especial entre os média. Às Escritorazinhas tudo é permitido: podem insultar os outros nas crónicas, processar em tribunal quem vai contra as suas ideias, consumir cocaína, podem inclusive ir a programas dizer que só têm 3 ou 4 dias para preparar a sua crónica, por isso não lhes podem pedir mais do que aquilo que escreve, porque como são do "grupo", toda a gente acha muita graça e ninguém condena.

Agora vamos lá ver o que acontece se uma escritora a sério faz alguma dessas coisas sem que surja logo um inquisidor de serviço a apontar o dedo para lhe chamar calaceira, irresponsável, pouco profissional e até mesmo burra. Uma escritora a sério não tem direito a esse tipo de comportamentos porque não foi levada ao colo pelas cunhas: é uma escritora e, consequentemente, se não consegue preparar uma crónica por semana, é imediatamente despedida. E o que mais me irrita é quando as Escritorazinhas apontam também elas o dedo às escritoras a sério, quando estas se comportam de forma semelhante a elas.

Ser escritora a sério dá trabalho e requer inteligência e sagacidade, para além de muita cultura. Que o digam as minhas amigas escritoras a sério, que foram vendo a sua reputação ser sistematicamente denegrida por dois tipos de pessoas: os tipos que nunca conseguiram que elas fossem trabalhar para os seus jornais e as Escritorazinhas que teriam gostado de ser convidadas para esses mesmos jornais, mas só conseguiram depois de se oferecerem. Uma escritora a sério não pode escrever sobre tudo, sob pena de censura. Já uma Escritorazinha pode dizer e fazer tudo o que lhe passar pela cabeça, porque conquistou um inexplicável estatuto de impunidade.

Porquê? Porque não é vista como uma escritora? Porque todo têm pena dela? E, já agora, porque é que quando uma Escritorazinha debita merda, as explicações bacocas para o sucedido são aceites sem despedimento, mas quando é uma escritora a sério a escrever sobre algo inoportuno, ninguém se coíbe de comentar:

Como dizia o François René: «O escritor original não é aquele que não imita ninguém ,
mas sim aquele que ninguém pode imitar.»


E quanto às Escritorazinhas, o melhor é arranjarem outro trabalho. Ou um frasco de cianeto. Ou as duas coisas."

Escrito por Fernando André Silva

-------------------------------

Vale a pena ler. Uma boa resposta à crónica de Margarida Rebelo Pinto, publicada no jornal SOL
ASS: FBC"
Este é o link de onde eu retirei o texto.Eu concordo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 22:16

Margarida Rebelo Pinto e as Gordinhas

por Menina ImPerfeita, Quinta-feira, 23.08.12

Olá a todos :)

 

Tento não escrever posts com a cabeça quente, mas este teve que ser. Deixo aqui o link do artigo que me tirou do sério. A Sra Margarida Rebelo Pinto escreveu um texto sobre o estatuto das gordinhas. Eu não sou gordinha, sempre fui magra. Mas o texto indignou-me. Fala de uma "falsa" liberdade, de um "falso" estatuto que as gordinhas têm. Lá porque estas meninas/raparigas/mulheres não têm formas NÃO QUER DIZER que não sejam mais bonitas do que as ditas magras. Lá por não terem namorado é uma treta, não tem nada a ver com o corpo. Eu sou exemplo disso. Sempre fui magra e nunca tive relacionamentos a sério (dignos desse estatuto), tive os meus amigos coloridos, mas tal como as ditas gordinhas também queria ter o meu namorado. O que interessa é o interior da pessoa, é a química/física que existem entre duas pessoas, a empatia,se isso não houver, podes ser gorda ou magra que ficas sozinha. Na opinião da autora, as "gordinhas" podem fazer coisas que as magras não podem ou as miúdas giras não podem. NUNCA OUVI NADA MAIS RIDICULO!!!

Eu digo asneiras (na opinião de muitas amigas minhas demais); arroto (temos pena! o P. não gosta); falo de sexo com as pessoas mais chegadas a mim (incluindo rapazes); faço chichi em sítios públicos (quer seja com a capa do traje a esconder, quer não. então quando bebo cerveja, pior é emenda que o soneto); já saí só com rapazes e fui considerada one of the guys (sempre protegida, e não era por terem pena de mim, era sim porque não queriam que nada de mal me acontecesse)...Por isso, na minha modesta e humilde (desculpem a redundância) opinião esta escritora está com uma auto-estima muito baixa e anda mal acompanhada. De certeza que consegue ter pensamentos mais produtivos e mais inteligentes que este. Pode fazer isto tudo desde que se sinta bem a fazê-lo, desde que não seja forçada, que faça parte de si. Não quer arrotar (não arrote),não quer dizer asneiras em público (não as diga), mas não me venha dizer que não pode ser "one of the guys" porque não é gordinha? ESSA É QUE NÃO!!!!!

 

AH e sempre pesei menos de 50kg...Nunca precisei de dietas ( e as dietas devem ser feitas para as pessoas se sentirem bem com elas mesmas, não para corresponder a estereótipos como os do seu texto)

 

XOXO

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 21:39

As fotos/vídeos são, na sua maioria, retirados da net. Caso esteja a utilizar alguma imagem ou vídeo , de forma indevida, peço que me contactem através deste mail (somosterriveis@sapo.pt) e será logo retirado. As minhas fotos estão identificadas. Está proibida a sua cópia sem o meu consentimento prévio. Os textos são todos da minha autoria, logo a sua reprodução está expressamente proibida, sem a minha permissão prévia. Cito textos de autores, os quais estão devidamente identificados. Contudo, caso os autores dos textos citados se sintam lesados por algum motivo, peço que me contactem através do mail (somosterriveis@sapo.pt) e eles serão retirados de imediato.


Comentários recentes

  • omeumaiorsonho

    ??????????

  • *Nightwish*

    Não sou grande fã da Pandora, confesso. Mas há uma...

  • *Nightwish*

    Ainda só li os dois primeiros do Robert Langdon do...

  • *Nightwish*

    Força miúda!! Voltei de propósito para te mandar f...

  • zootpum

    Bom ano!Os anos de transição são duros mas são ao ...